30 de jun de 2012

Chico Xavier - 10 anos de desencarne

     Hoje é um dia que lembramos a existência de Chico Xavier aqui entre nós, dez anos se passaram do seu desencarne, porém seu legado será inesquecível; as lições de amor ao próximo e ao seu trabalho mediúnico incansável, que nos favoreceram com tanto conhecimento do mundo espiritual, além das belíssimas mensagens e romances históricos, sem contar as psicografias de consolo e ensinamento.

     Temos na Internet um vasto acervo sobre sua biografia, bem como livros e filme; não pretendo aqui redundar aquilo que já sabemos; minha intenção é apenas aproveitar essa data para agradecer.  Tudo bem, é só uma data, mas acredito que nós aqui nessa matéria que nos aprisiona, tornando difícil nossa ligação com o alto para mantermos sempre pensamentos mais elevados, ainda precisamos das tais datas para nos recordarmos e quem sabe refletirmos um pouco mais.  

     Quanto temos a agradecer a Deus por tantas bênçãos, e uma delas é justamente a presença desse irmão e amigo, que trouxe consolo a tantas pessoas, que tiveram a felicidade e merecimento de terem o seu convívio.

     Acredito que não temos condições de dimensionar a extensão de sua obra. Quantas pessoas foram beneficiadas com ela. Quantas mães aflitas em busca de notícias de seus filhos queridos, foram agraciadas com o alento de uma mensagem amorosa.

     Quantos famintos do pão material foram saciados através do valoroso trabalho; tanto na assistência direta, nas casas e nas ruas, quanto na vastíssima obra literária, que rendeu valoroso numerário em favor dos menos afortunados.

     Enfim, quanto impacto sua vida causou na alma de tantos de nós. Penso que não temos idéia do alcance de sua obra e missão aqui na Terra, mas temos obrigação de lembrar e agradecer. Aqueles que abraçaram a Doutrina Espírita sabem que os ensinamentos sempre baseados no amor e no evangelho foram a meta de Chico Xavier. Digo isso por conta dos livros, das psicografias e mensagens com tanto alento às dores da alma humana.

     Temos conhecimento que seu trabalho continua, de outra forma, porém nos auxiliando como sempre. Então, a mim só resta dizer algo tão simples  e verdadeiro como MUITO OBRIGADA CHICO!

     Deixo abaixo essa poesia tão singela, onde ele nos ensina o valor da vida, do bem e da alegria pela vida, considerando a natureza como metáfora a nos consolar nos momentos mais difíceis de provas que ainda tanto necessitamos. 




Se quiser ler mais sobre Chico Xavier veja:



Transformando nossas vidas
Ieda Perez

28 de jun de 2012

Reciclando sentimentos

Você já passou por períodos de mudanças? Essa parece uma pergunta óbvia, pois quem não passou! 

No entanto, muitos preferem dizer que isso é tão natural que nem cabe essa pergunta, porém essas mesmas pessoas, quando estão diante desses momentos (que sabemos o caos que ocasionam), não gostam de admitir  que a própria vida está impondo a necessidade de mudanças interiores. Preferem acreditar que elas são apenas naturais (externas) e com isso perdem oportunidades de aprendizado e crescimento interior.

O que é ainda mais difícil para algumas pessoas é entender que podemos mudar por opção, justamente para melhorar algo que está ruim. Tenho ouvido de várias pessoas, que mudar é muito complicado e normalmente gera um certo caos, o que leva ao desconforto. Temos a idéia, pela prática, que toda mudança gera desestabilização, porém ela é justamente o necessário no momento, para que o melhor aconteça. 

No aspecto emocional, parece ainda mais difícil, muitos de nós temos enorme dificuldade em identificar nossos sentimentos verdadeiros e nos conhecer mais profundamente; isso devido a diversos fatores, entre eles o mais agravante são nossas crenças individuais e também coletivas.

A autora espiritual Ermance Dufaux nos traz uma variedade de informações sobre o assunto e uma que considero muito importante é a questão de aprendermos a perguntar sempre aos nossos sentimentos novos o que eles querem nos dizer, ou seja, entendermos que cada sentimento está conosco por uma razão e que cabe a nós identificá-las para um autoconhecimento e possível mudança. 

Muito estranho isso porque crescemos com a idéia que os sentimentos fazem parte da vida, que todos nós temos, que é natural. É lógico que tem verdade nisso, mas entender que eles nos trazem informações sobre nós mesmos, que podem mudar a cada fase da vida, tudo isso não foi ensinado a nós. Por essa razão, vamos vivendo sem cuidar dessa parte, sem um aprendizado emocional e para piorar, vamos gerando conflitos internos e nas relações; construindo os mais diversos sentimentos dolorosos, nos vitimizando, nos desvalorizando e tudo que é desconstrutivo em nossa vida. Enfim, nos mantemos totalmente afastados do autoconhecimento e nem sequer temos idéia de que isso é necessário.

O mais interessante é que esse trabalho de aprender com os sentimentos tem a função de nos levar ao auto-amor, algo que temos também dificuldade em assumir. Por questões diversas, confundimos com egoísmo, que aprendemos desde pequenos, ser algo errado, portanto precisamos cuidar para não sermos egoístas, quanto conceito equivocado!

E quando aprendemos a lição do auto-amor , muitas coisas mudam também no exterior, principalmente com relações aos nossos seres queridos mais próximos, que temos afeto e ao mesmo tempo desencontros.

Para quem está interessado, existem diversos livros que são auxiliares para um conhecimento aprofundado. Os que gostam de associar o tema a um aprendizado baseado no evangelho, recomendo o livro Escutando Sentimentos de Ermance Dufaux, em que encontramos recursos de grande valor para esse feito.  

Estou nesse momento da vida passando por essas mudanças e posso garantir que essa forma de autoconhecimento é muito valiosa. É claro que tudo começa quando decidimos, pois sem esse primeiro passo nada irá acontecer. Há também a considerar que muitas vezes é necessário um trabalho psicoterapêutico, sem o qual fica muito mais difícil. Lembrando que muito se fala em reforma interior, mas percebo que nem todos estão realmente dispostos a essa tarefa; uns a consideram trabalhosa, outros muito difícil mudar hábitos e outros ainda com um certo medo do auto-enfrentamento, por terem ouvido muito falar sobre ter coragem para descobrir defeitos. Mas esse é um assunto para outra postagem.

Nesse vídeo temos uma música de fácil compreensão, usando a metáfora na questão de reciclar o coração. A meu ver, uma forma simples e fácil de iniciar mudanças, apenas observando atentamente os sentimentos mais naturais
.
Faça um teste nos próximos dias e descubra que poderá até se surpreender. 
Volto a falar sobre o assunto, que considero fundamental para nosso crescimento interior.



Transformando nossas vidas

Ieda Perez

Leia também:
Você costuma sentir raiva?
Coisas do coração


Se gosta desse assunto, deixe seu comentário ou então apenas divulgue em suas redes, clicando nos botões abaixo.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...