25 de dez de 2011

Onde nasceu Jesus?

     Nesse vídeo temos um texto interessante, de belíssima página escrita pelo espírita Pedro de Camargo (1878-1966), mais conhecido como Vinícius, no livro "Em Torno do Mestre", publicado pela FEB em 1939.

     O autor analisa o significado e o contexto do nascimento de Jesus, utilizando como recurso literário uma entrevista direcionada a sete conhecidas personalidades do Evangelho.

     Nas respostas dos entrevistados encontramos nitidamente qual o valor verdadeiro do Natal de Jesus; o que deve significar para nós essa data. Entendo essa mensagem como uma lição para nosso crescimento interior; para  aprendermos que o Natal maior em nossas vidas deve ser aquele exato momento do despertar da nossa consciência para a sublimidade do Amor verdadeiro, ensinado e exemplificado por Jesus. E que efetivamente não será nessa data estabelecida, em que comemoramos com festas e presentes e muitos de nós nem sabemos a razão para tal evento, mas participamos, fazemos orações (algúns) e somos envolvidos a tudo o que nos apresentam nessa época do ano.

Ondenasceujesus
View another webinar from dlahos

     Se você já conhecia esse texto, aproveite para refletir assim como eu estou fazendo; porém, se é a primeira vez que o vê, leia novamente e com certeza conseguirá entender essa mensagem do autor como algo muito valioso que poderá mudar sua vida a partir de agora.

     Agora pergunto: E para você, onde e quando nasceu Jesus? Felizmente posso dizer que Jesus nasceu para mim em diversos momentos nessa vida atual; porém acredito que nesse ano que estamos findando foi o nascimento mais surpreendente, que mudou radicalmente,  de forma totalmente inesperada. Espero que você possa também sentir o mesmo e minha sugestão é que  envie esse post a seus amigos e quem sabe com isso,  irá ajudar a muitos que passam por provações com tantas dores e dificuldades, principalmente por não conseguirem ainda entender os motivos desses obstáculos em suas vidas. E dessa forma vão vivendo, se arrastando, sem aproveitarem a vida da forma como deve ser feita.

     Você deve estar se perguntando: qual é essa forma? Acredito fortemente que aprendendo, crescendo, agradecendo e principalmente amando-nos uns aos outros, mesmo  com todas as diferenças, que é para mim o melhor ensinamento, aquele que faz o verdadeiro Natal acontecer para todos nós. Se você conhece outra forma, escreva, coloque seu comentário e participe, todos temos muito a aprender uns com os outros!


Transformando nossas vidas

Ieda Perez












Aproveite que está conectado e divulgue em suas redes sociais

 

18 de dez de 2011

Por quê nós vivemos?

     Poucas pessoas têm uma idéia clara sobre o objetivo da vida e raríssimos aqueles que têm a noção do que estão fazendo aqui. A maioria de nós vive como se morasse em um labirinto, perdida numa névoa escura, rodeando o tempo todo, sem saber se vai por esse ou aquele lado, simplesmente porque não sabe quem realmente é, o que está fazendo aqui e para onde deve ir. Viver desse modo é como se você fosse a um supermercado sem saber o que quer comprar e, então, após algum tempo de perambulação pelos corredores, compraria qualquer coisa e iria embora. Viver sem saber quem é e o que é isso que se chama "vida" é a mesma coisa: você perambula pelos corredores, sem comprar nada de que realmente precise e, no final, vai-se. Ou compra coisas que não precisa.

     Uma das constatações nas sessões de regressão é o fato de ouvirmos sempre histórias de pessoas que estão há centenas ou milhares de anos reencarnando para melhorar características negativas. Refiro-me ao modo de ser em outras vidas, como maneira de pensar, de sentir, muitíssimo parecida encarnação após encarnação, inclusive como é ainda hoje! Como assim? Nos tratamentos de regressão, percebe-se facilmente que uma pessoa que hoje é autoritária, agressiva, era assim nas suas encarnações passadas; outra que apresenta timidez, medo, se vê assim em outras vidas; uma pessoa magoada, com sentimentos de rejeição e abandono enxerga-se dessa maneira também em suas encarnações passadas, aquele que hoje se encontra deprimido, já era assim há séculos, e isso não aparece em um ou outro paciente, isso demonstra-se sempre, em todas as sessões de regressão! Ouvimos histórias de pessoas que estão há centenas ou milhares de anos reencarnando para melhorar essas  características negativas, com um resultado muito pequeno, repetindo sempre o mesmo padrão, e que, hoje em dia, são ainda extremamente parecidos como eram!

     E isso podemos entender se acreditarmos que somos um Ser imortal que muda apenas de "casca" de uma encarnação para outra, sendo assim mantemos uma personalidade espiritual, que é nossa e nos acompanha encarnação a encarnação.

     Observemos no livro "Obreiros da Vida Eterna", de André Luiz, psicografado por Chico Xavier, em uma palestra do Dr. Barcelos, psiquiatra desencarnado, no Nosso Lar, páginas 32-34, quando ele diz:
"Precisamos divulgar no mundo o conceito moralizador da personalidade congênita, em processo de melhoria gradativa, espalhando enunciados novos que atravessem a zona de raciocínios falíveis do homem e lhe penetrem o coração, restaurando-lhe a esperança no eterno futuro e revigorando-lhe o ser em suas bases essenciais. As noções reencarnacionistas renovarão a paisagem da vida na crosta da Terra, conferindo à criatura não somente as armas com que deve guerrear os estados inferiores de si própria, mas também lhe fornecendo o remédio eficiente e salutar... Falta aos nossos companheiros de Humanidade o conhecimento da transitoriedade do corpo físico e o da eternidade da vida, do débito contraído e do resgate necessário, em experiências e recapitulações diversas... Faltam às teorias de Sigmund Freud e seus continuadores a noção dos princípios reencarnacionistas e o conhecimento da verdadeira localização dos distúrbios nervosos, cujo início muito raramente se verifica no campo biológico vulgar mas quase que invariavelmente no corpo perispiritual preexistente, portador de sérias perturbações congênitas, em virtudes das deficiências de natureza moral, cultivadas com desvairado apego, pelo reencarnante, nas existências transcorridas". 
     Nós reencarnamos para melhorar nossas tendências inferiores mas se avaliarmos o quanto temos conseguido melhorar isso em nós nessa atual encarnação, podemos fazer uma projeção semelhante para nossas últimas oito ou dez encarnações.

     A primeira vez que tive contato com esse conceito, apresentado dessa forma, ou seja, que temos uma Personalidade Congênita, fiquei muito confusa. Foi preciso estudar um pouco mais para começar o entendimento e aceitação, isso tudo acredito que pelo fato de eu mesma trazer algumas crenças bastante prejudiciais, que precisei reconhecê-las de pronto, para continuar esse aprendizado.

     Hoje porém, entendo que o Tratamento com a Psicoterapia Reencarnacionista está sendo uma nova luz para as pessoas. Muitos que antes tinham enormes dificuldades para entenderem suas lutas e constantes desafios. Aqueles que já cansados de buscarem ajuda, fazendo tratamentos diversos ou apenas lendo e tentando modificar seus comportamentos, porém com muita lentidão no processo de autoconhecimento, justamente pelas travas psíquicas. E tantos outros casos que estão encontrando na Psicoterapia Reencarnacionista o amparo, o elemento principal para um autoconhecimento profundo (como um ser imortal), além daqueles que conseguem iniciar uma cura de seus males, tão dificilmente verificada na Medicina atual, que trata os sintomas, olhando apenas para as doenças e nunca para a pessoa, trazendo alívio muitas vezes, porém não a cura definitiva.

     Lembrando que essa nova terapia, tem por base dois aspectos fundamentais: o primeiro é o desligamento de situações traumáticas ou simplesmente dolorosas em vidas passadas e o segundo é a conscientização para uma nova postura, através de uma constante mudança nos padrões mentais, observando melhor os pensamentos e a forma como enxerga a vida num âmbito geral. Enfim, podemos chamar essa segunda parte de promover uma Reforma Íntima, que é o objetivo principal de nossa vida atual.

     Entendermos finalmente que estamos aqui para curar nossas inferioridades e para isso é necessário olharmos para elas, aprendermos sobre nós, fazermos a transformação e encontrarmos nossa parte luminosa, latente em nós aguardando o momento para se manifestar.

     A Psicoterapia Reencarnacionista traz uma nova visão para aprendermos um conceito de saúde muito mais abrangente em termos espirituais. Você pode saber mais a respeito acessando http://blogabpr.wordpress.com/. É interessante quando mudamos o foco, como a situação atual se desvanece e iniciamos um processo de mudança imediato.

     Entendo isso como o "nosso caminho para a Luz", ou seja a finalidade maior de existirmos.

     Se você tem interesse em conhecer melhor esse tratamento, é só buscar  um profissional mais próximo, através do link http://profissionaisabpr.wordpress.com/


Transformando nossas vidas

Ieda Perez





Se gostou desse texto, divulgue em suas redes sociais, clicando nos botões abaixo!





8 de dez de 2011

JESUS: Caminho, Verdade e Vida


"Jesus é o caminho, a Verdade e a Vida. Sua luz imperecível brilha sobre os milênios terrestres, como o Verbo do princípio, penetrando o mundo, há quase vinte séculos. Lutas sanguinárias, guerras de extermínio, calamidades sociais não lhe modificaram um til nas palavras que se atualizam, cada vez mais, com a evolução multiforme da Terra. Tempestades de sangue e lágrimas nada mais fizeram que avivar-lhes a grandeza. Entretanto, sempre tardios no aproveitamento das oportunidades preciosas, muitas vezes, no curso das existências renovadas, temos desprezado o Caminho, indiferentes ante os patrimônios da Verdade e da Vida. O Senhor, contudo, nunca nos deixou desamparados".

Emmanuel/Chico Xavier
Livro: Caminho, Verdade e Vida - FEB Editora




Transformando nossas Vidas

Ieda Perez




Aproveite para divulgar em suas redes sociais





2 de dez de 2011

DEPRESSÃO - parte 1

     Esse tema tem gerado polêmica e por essa razão considero importante prosseguir esse pequeno estudo. Quanto à colocação feita anteriormente no quesito "medicação", sem dúvida, os medicamentos tem efeito fundamental no controle das crises; justamente em função disso, quando alertei sobre o efeito negativo que ocasiona, pelo fato da pessoa não ter mais a necessidade de buscar a cura, ou seja, a "verdadeira cura", já que o medicamento vai mascarar a doença em si. O tratamento com antidepressivos proporciona o reequilíbrio dos neurotransmissores cerebrais. No entanto, muitos acreditam que o desequilíbrio foi gerado pelos fatores externos, mas não é bem assim. Os acontecimentos são apenas desencadeantes, pois a alma já estava doente e a pessoa não se dava conta disso.

     Essa "doença da alma", como encontramos muito bem definida em obras de Ermance Dufaux e José Mario, é que ocasiona os tais desequilíbrios dos neurotransmissores, portanto a medicação irá corrigir apenas os efeitos e não a causa. Encontramos pessoas que tomam medicação uma vida inteira, considerando sendo essa uma doença incurável, que apenas se controla os efeitos. Com certeza, sofrerão maior decepção após o desencarne, quando se depararem com a verdadeira razão de ter passado uma vida toda nessa dor.
     Vejamos algumas definições importantes da autora espiritual Ermance Dufaux, no livro Escutando os Sentimentos:
                    Estufas Psíquicas da Depressão
"Desde as crises ocasionais da depressão reativa até os quadros mais severos que avançam aos sombrios labirintos da psicose, encontramos no cerne da enfermidade o Espírito, recusando os alvitres da vida. Através das reações demonstra sua insatisfação em concordar com a Vontade Divina, acerca de Seus Desígnios, em flagrante desajuste. Rebela-se ante a morte e a perda, a mudança e o desgosto, a decepção e os desafios do caminho, criando um litígio com Deus, lançando a si mesmo nos leitos amargos da inconformação e da revolta, do ódio e da insanidade, da apatia e do sofrimento moral.
Depressão é uma intimação das Leis da Vida convocando a alma a mudanças inadiáveis. É a "doença-prisão" que cassa a liberdade da criatura rebelde, viciada em ter seus caprichos atendidos. Vício sedimentado em milênios de orgulho e rebeldia por não aceitar as frustrações do ato de viver. Em tese, depressão é a reação da alma que não aceitou sua realidade pessoal como ela é, estabelecendo um desajuste interior que a incapacita para viver plenamente.
Neste momento de transição em que os avanços científicos a classificam dentro de limites e códigos, é necessário ampliar a lente das investigações para analisá-la como estado interior de inadequação com a vida, que limita o Espírito para plenificar-se, existir, ser em plenitude. Seu traço psíquico predominante é a diminuição ou ausência de prazer em quaisquer níveis que se manifeste. Portanto, dilatando as classificações dos respeitáveis códigos humanos, vamos conceituá-la como sendo o sofrimento moral capaz de reduzir ou retirar a alegria de viver".
    
     Com esse conteúdo riquíssimo para nossa informação, fica evidente a necessidade de avaliação de posturas e condutas, diante dos fatos rotineiros. Todos nós vivemos com uma certa inconformação, insatisfação e frustração, porém, o nível desses sentimentos é que irá determinar o grau de nossa doença. Sabemos que existem aqueles momentos na vida em que é inevitável um certo período em que nos encontramos deprimidos, devido circunstâncias ocasionais. No entanto, podemos mensurar esse grau, baseados nas ações ou sentimentos que evidenciam o estágio em que nos encontramos.

     Em próximo post estaremos estudando esses sinais para melhor compreendermos e até evitarmos desajustes futuros em nossa existência.


Transformando nossas vidas


24 de nov de 2011

EMOÇÕES - parte 2

     Após a postagem do artigo anterior (EMOÇÕES), recebi alguns comentários a respeito da maneira tão simplória como abordei a terapêutica para depressão.
     É óbvio que o tratamento não é tão simples assim. A recomendação anterior de fazer uso da ferramenta "Reprogramação Mental" foi apenas uma forma de oferecer recurso salutar, lembrando que existem vários recursos. Porém, tomando por base que todo tipo de tratamento em quaisquer que sejam os casos e razões, deve ser baseado em pensamentos, então a Reprogramação mental funciona como um remédio "genérico". Porém é importante sabermos que existem as depressões mais leves, chamadas de reativas, pois são decorrentes de fatos ocasionados durante a vida e também a depressão crônica, caracterizada pelo estado de profunda dissonância com a vida desde a infância, ou mesmo aflorado na juventude ou maturidade, mas com sintomas profundos e perturbadores.

     Nos dois casos é bastante útil a reprogramação mental e  com relação às depressões consideradas crônicas, a recomendação vai além. Há que se considerar vários aspectos quais sejam:
-   Medicamentos (alopáticos, homeopáticos, florais)
-   Psicoterapia Reencarnacionista (que não cuida apenas das emoções 
    doentes mas principalmente dos pensamentos que geram as emoções e 
    da descoberta das questões mais importantes que precisam ser 
    tratadas   na atual encarnação)
-  Passe espiritual - quando se observa a atuação de espíritos sofredores
-  Trabalho voluntário, filantrópico

     Há casos em que se torna necessário a aplicação de todos esses recursos, sendo que sem dúvida o mais importante é a Psicoterapia Reencarnacionista, visto que irá trabalhar na raiz espiritual da doença. Além de promover o desligamento de vidas passadas que porventura ainda estejam trazendo ressonância na vida atual, dificultando o tratamento em si, também oferece recursos para promover a Reforma Íntima que é o remédio mais indicado, conforme veremos em outro artigo.

     Medicações psiquiátricas são valorosas devido amenizar as crises. Porém, há que se pensar no efeito negativo no que se refere ao fato de privar a pessoa de fazer o trabalho verdadeiro de cura. A única medicação que vai à raiz é a mudança de atitude. No trabalho terapêutico há um aprofundamento das questões mais íntimas geradoras da depressão. A pessoa faz uma autodescoberta, tem uma maior percepção  que ela é a causa de seus problemas e com isso dá um passo, reconsiderando suas atitudes e dessa forma a Depressão se torna auto-educadora, mostrando quem a pessoa é de verdade. E somente com uso da medicação isso não acontece porquê sem os sintomas, a pessoa se vê livre  do trabalho terapêutico, porém, se ela interrompe o medicamento, a crise volta.

     No início da terapia algumas vezes acontece um agravamento do estado depressivo, por estar iniciando um processo de mudança interior. Lembrando que essa mudança (reforma) é o melhor medicamento, apesar de ser o mais doloroso, e mais difícil.

     Por essa razão muitas pessoas não querem essa parte do tratamento, preferem ficar nos antidepressivos a vida toda mesmo sabendo que a doença continua após a morte e estarão apenas prorrogando a questão, que cedo ou tarde deverá ser avaliada. E quanto mais adiarem, pior fica a recuperação. Acabam esticando suas depressões, em alguns casos não conseguem nem entender essas explicações e preferem acreditar que as razões da doença são congênitas e com a morte termina o sofrimento.

     O trabalho de mudança interior sim irá conduzir a uma cura. Nas Regressões Terapêuticas normalmente encontramos a razão. Os sintomas apresentados pela pessoa estão relacionados sempre às situações que vivenciou no passado.  Os gatilhos emocionais da vida atual são disparadores da doença que muitas vezes encontra-se oculta. Recebi no consultório uma jovem que foi envolvida num acidente grave o qual ocasionou a invalidez de uma pessoa. A partir daí ela entrou em depressão e não conseguia mais se livrar, nem mesmo com antidepressivos. Mesmo que a justiça a considerou inocente, perante testemunhas e provas, ainda assim  não conseguia se livrar da culpa. Na Regressão Terapêutica ficou evidenciado que em uma vida passada ela havia sido responsável por uma morte em condição  semelhante. E essa culpa estava em seu inconsciente adormecida, quando nessa vida surgiu uma situação idêntica, foi disparado o sentimento novamente. Com o tratamento de desligamento e consciencial a pessoa foi refletindo a necessidade de se perdoar para se livrar da culpa, além de outras questões internas não resolvidas e necessitando dessa reforma interior agora.
    
     Em cada situação há uma razão, e sempre o remédio será a reforma íntima e o crescimento interior espiritual. Esse é um assunto bastante amplo e não é possível em um artigo tão pequeno considerarmos todos os aspectos. Porém já encontramos publicações científicas juntamente com notícias da espiritualidade a respeito da condição em que se encontram os espíritos após o desencarne, quando em vida não trataram suas doenças, principalmente a depressão.

     Em próximo artigo estarei trazendo novas informações e conteúdo valoroso para nosso aprendizado. Por ora, vale lembrar que é uma doença espiritual, bem como todas as nossas inferioridades e cada um deve descobrir seu caminho na busca da cura. Hoje vivemos num momento onde há muitos recursos, cabe a nós a escolha, a decisão se vamos cuidar agora ou deixar para mais tarde.

     Quanto à Reprogramação Mental, continuo apoiando, tendo em vista justamente a simplicidade, porém, é claro que há casos e casos. Quando a pessoa não tem intenção em mudança, em cura, muito menos em esforço com trabalho de autodescoberta, com certeza não será a reprogramação mental que irá ajudá-la, pois a razão e origem nesse caso está muito mais profunda e infelizmente ainda não houve conscientização, desejo ou mesmo necessidade dessa cura.


Transformando nossas vidas

Ieda Perez










Aproveite que está conectado e divulgue esse post em suas redes, clicando nos botões abaixo

18 de nov de 2011

EMOÇÕES

     Você alguma vez já abriu mão de seus sentimentos, pensamentos, emoções e necessidades em favor de alguém, somente para receber aprovação e consideração? Infelizmente muitos de nós já agimos assim! Quantas vezes asfixiamos e negamos nossas emoções diante de acontecimentos que nos machucaram profundamente. Pior é que não sabíamos que estávamos nos destruindo.

 

     Necessitamos aprender que devemos viver o direito de sentirmos nossas emoções para sermos honestos com nós mesmos. Que elas nos ajudam no processo de autodescobrimento e estão vinculadas a estruturas importantes de nossa vida mental, como os pensamentos cognitivos e as nossas intuições.

     Desde muito pequenos, crescemos aprendendo que as emoções são erradas ou pecaminosas, que não devemos sentir medo ou raiva, não podemos nem ficar tristes. A consequência disso é que geramos um sentimento ainda pior, a culpa e acabamos nos levando a uma autocondenação.

 

     Agora precisamos aprender  a saber lidar com nossas emoções e não nos censurar mais por sentí-las, mas sim julgar a decisão do que faremos com elas. Esse aprendizado torna-se urgente, tendo em vista o crescente aumento de estados depressivos advindos dessas situações, ou seja, da repressão de nossas reações emocionais como também dos julgamentos negativos que fazemos de nós mesmos e limitação de nossos desejos internos.

 

     Se você está se encaixando nesse contexto, saiba que a Depressão, vem sendo tratada de forma superficial apenas com medicação. É certo que ela apresenta seus sintomas de baixa de humor e que é diagnosticada clinicamente como falta de substâncias no organismo (serotonina), gerando a disfunção. No entanto, devemos entender que isso é apenas uma consequência de problemas internos oriundos de má orientação de nossas emoções. Sendo assim, muito melhor e produtivo que sejam tratadas as origens e não apenas os efeitos.

 

     E como tratar então as origens? Entendendo que o cerne do assunto está em nossos pensamentos, na maneira que escolhemos acreditar que somos. Na maneira que decidimos cuidar de nossas emoções antigas e atuais. Para isso é necessário um trabalho de autoconhecimento profundo e existem diversas técnicas poderosas, não apenas a Psicoterapia que lida com os pensamentos (reencarnacionista) mas também outras técnicas que trabalham alterando os padrões mentais.

 

      Você pode estar alimentando pensamentos limitantes, e com isso criando estados depressivos internos e colocando a culpa nas circunstâncias externas, portanto se quiser conhecer um trabalho valioso que possa desenvolver consigo mesmo, na sua própria casa, eu recomendo a Reprogramação Mental, para isso basta clicar em Sair da Depressão, conhecer, saber como funciona,  adquirir essa ferramenta e a partir de então poderá fazer alterações em seus padrões mentais antigos, substituindo-os por outros mais poderosos e fortalecedores.

     Porém, se você tem intenção em continuar no papel de vítima, então nem adianta tentar porque nada irá adiantar. Minha sugestão é que você se questione honestamente se gosta de ficar assim, se tem alguma vantagem nisso; esse questionamento já é um início de autoconhecimento. Entretanto é importante saber o que irá fazer com a resposta. Talvez seja necessário um trabalho terapêutico com profissional para juntos chegarem ao âmago da questão.


     E finalizando, lembrar-nos que jamais devemos reprimir nossas emoções, pois elas nos trazem informações sobre nosso interior. Devemos sim olhá-las com carinho e procurar entender o que estão querendo nos dizer. E principalmente entender que "sentir raiva" é muito diferente de "cometer uma brutalidade". Que sentir não é o problema, mas o que fizermos com esse sentimento é que poderá ser prejudicial.



Transformando nossas vidas

Ieda Perez


http://www.abpr.org/


Aproveite que está conectado e divulgue esse artigo em suas redes,clicando nos botões abaixo.


2 de nov de 2011

AUTO AMOR

Muitos confundem Auto amor com Egoísmo, algúns alegam que ter autoamor é ser egoísta e não querem ser assim, com isso descuidam desse aspecto tão importante na vida.

 Acredito que por falta de conhecimento profundo do assunto, nos equivocamos e deixamos nosso crescimento interior defasado. Vivendo de forma superficial e infantil espiritualmente, não aprendemos o sentido verdadeiro do "auto-amor".
Nesse vídeo, de Divaldo Pereira Franco, médium, escritor  e orador espírita, temos uma explicação muito clara sobre o assunto.





Transformando nossas vidas

Ieda Perez




23 de out de 2011

A busca pelo melhor

     Podemos observar que nos últimos tempos tornou-se muito evidente o assunto "Lei de Atração". Principalmente depois da apresentação do filme "O Segredo", tem sido comum ouvirmos pessoas dizerem que estão lendo o livro e começando entender algumas coisas em sua vida. Pena que ainda precisamos de motivações exclusivamente materiais para sermos tocados no espiritual. Mas enfim, assim somos todos nós, humanidade ainda em processo lento de evolução.

     Tenho recebido em consultório pessoas interessadas na Psicoterapia Reencarnacionista, algumas curiosas pelo que ouviram falar, outras já mais preparadas para a busca do autoconhecimento. Quando uso o termo "Reforma Íntima", muitos se assustam, se equivocam, mas ao falar em Lei de Atração, percebo que a linguagem toca mais, que as pessoas se sentem mais motivadas a essa busca, mesmo sem entenderem direito o que ela (a busca) significa.

   A verdade é que essa Lei é algo Universal, inevitável, e profundamente tratado desde os primórdios da Humanidade. Se através desse conhecimento (do filme) podemos entender melhor tudo ao nosso redor, então acredito que seja válido mesmo  seguirmos por ele, o que importa é a forma como vamos aprender e o resultado ao qual devemos chegar.

     Esse texto abaixo nos evidencia o quanto o tema é antigo, apresentado inclusive pelo nosso querido Chico Xavier. Infelizmente, essa literatura vem sendo absorvida muito lentamente, talvez por não impactar tanto, por não fazer conexão com assuntos materiais, como no caso do filme referido.

"Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes.
São a fonte de atração e repulsão na tua jornada.
Não reclames nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em suas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor".

Francisco Cândido Xavier 

     Considero esse pequeno texto completíssimo para nosso entendimento e principalmente porque nos remete  aos acontecimentos fundamentais em nossa vida, e nos força a refletirmos sobre a importância do controle dos pensamentos e da prática do bem sempre. Para aqueles que tem o hábito de focar somente o mal da Humanidade, de olhar tudo com uma visão exclusivamente negativa, sem esperanças, estão perdendo tempo e destruindo seu futuro, justamente por efeito dessa Lei, estão atraindo cada vez mais o mal em suas vidas!

     Essa mensagem do Chico deixa bem claro que podemos e devemos buscar sempre o melhor, e ele virá, pois somente assim estaremos nos transformando e auxiliando na mudança da Humanidade como um todo.

     Façamos a nossa parte!

Transformando nossas vida

Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista

18 de out de 2011

Velhos Conhecidos

     Recebi esse texto por e-mail e a pessoa que me enviou disse não ter o nome do autor e/ou livro porque também recebeu de forma anônima. Considero essa metáfora de sentimentos muito valiosa para refletirmos bastante sobre nosso lado mais oculto, o qual escondemos tanto, que até nós mesmos não conseguimos detectá-lo.
Certo dia um casal encontrou pessoas dentro de sua casa. Assustaram-se, acharam que eram ladrões, mas um deles lhes disse:
- Calma! Somos velhos conhecidos, estamos em toda parte do mundo. Viemos para que vocês escolham um de nós para sair definitivamente de suas vidas.
- Mas quem são vocês? – pergunta a mulher.


- EU SOU A PREGUIÇA – responde um homem forte e saudável, com corpo de halterofilista.
- Como pode ser, se tem um corpo de atleta, de quem faz muitos esportes? – pergunta a mulher.
- A preguiça é forte como um touro, e pesa toneladas nos ombros dos preguiçosos, com ela ninguém pode chegar a ser um vencedor.
* * *
Uma mulher velha, encurvada, com a pele muito enrugada e que mais parecia uma bruxa diz:
- EU SOU A LUXÚRIA, meus filhos.
- Não é possível! – diz o homem. Você não pode atrair ninguém com essa feiúra.
- Não há feiúra para a luxúria, queridos. Sou velha porque existo há muito tempo entre os homens; sou capaz de destruir famílias inteiras, perverter crianças e trazer doenças para todos, até a morte. Sou astuta e posso me disfarçar no mais belo ser humano.
* * *
Um mal cheiroso homem, vestindo trapos de roupas, que mais parecia um mendigo, diz:
 - SOU A COBIÇA. Por mim, muitos já mataram, abandonaram famílias e pátrias, sou tão antigo quanto a luxúria, mas não dependo dela para existir.
* * *
- SOU A GULA – diz uma lindíssima mulher, com corpo escultural e cintura finíssima, cujos contornos eram perfeitos e tudo no corpo dela tinha harmonia de forma e movimentos.
- Mas sempre pensei que a gula fosse gorda! – disse a mulher.
- Sou bela e atraente porque se assim não fosse, seria muito fácil livrarem-se de mim. Minha natureza é delicada, normalmente sou discreta, quem tem a mim não se apercebe, mostro-me sempre disposta a ajudar na busca da luxúria.
* * *
Sentado em uma cadeira ao canto da casa, um senhor bem idoso, com o semblante sereno, voz doce e movimentos suaves diz:
 - SOU A IRA. Alguns me conhecem como Cólera. Tenho muitos milênios também. Não sou homem, nem mulher, assim como meus companheiros que aqui estão.
- Ira??? Parece mais o vovô que todos gostaríamos de ter! – diz o dono da casa.
- E a grande maioria tem me tem, responde o vovô. Matam com crueldade, provocam brigas horríveis e destroem cidades quando me aproximo. Sou capaz de eliminar qualquer sentimento diferente de mim, posso estar em qualquer lugar e penetrar nas mais protegidas casas. Mostro-me calmo e sereno para mostrar-lhes que a ira pode estar no aparentemente manso. Posso também ficar contido no íntimo das pessoas sem me manifestar, provocando úlceras, câncer, e as mais temíveis doenças.
* * *
 - SOU A INVEJA. Faço parte da história do homem desde a sua criação – diz uma jovem que ostentava uma coroa de ouro cravada de diamantes, usava braceletes de brilhantes e roupas de fino tecido, assemelhando-se a uma princesa rica e poderosa.
- Como? Mas se é rica, bonita e parece ter tudo o que deseja... diz a mulher da casa.
- Há os que são ricos, os que são poderosos, os que são famosos e os que não são nada disso, mas estou entre todos. A inveja surge pelo que não se tem e o que não se tem é a felicidade. Felicidade depende de amor, e isso é o que mais falta na humanidade. Onde estou está também a Tristeza.
* * *
Enquanto os invasores se explicavam, um garoto que aparentava cerca de cinco anos, brincava pela casa. Sorridente, de aparência inocente como toda criança, sua face delicada mostrava jovialidade e olhos vívidos.
- E você, garoto, que faz junto a esses que parecem ser a personificação do mal? - pergunta o homem.
O garoto responde com um sorriso largo e um olhar profundo:
- SOU O ORGULHO... - Orgulho? Mas você é apenas uma criança! Tão inocente!
O semblante do garoto tomou um ar de seriedade que assustou o casal, e disse:
- O orgulho é como uma criança mesmo, mostra-se inocente e inofensivo, mas não se enganem, sou tão destrutível quanto todos aqui. Querem brincar comigo?
* * *
A Preguiça interrompe a conversa e diz:- Vocês devem escolher quem de nós sairá definitivamente de suas vidas. Queremos uma resposta. Têm 10 minutos para pensar.
O casal se dirige para o quarto, fazem várias considerações e retornam.
- E então? Pergunta a Gula.
- Decidimos que queremos que o Orgulho saia de nossas vidas.
O garoto dá um olhar fulminante para o casal, pois queria continuar ali. Porém, respeitando a decisão, dirige-se à saída. Em silêncio, os outros iam acompanhando o garoto, quando o homem pergunta:
- Ei! Mas vocês também vão embora? Porque?
O menino, agora com ar severo e voz forte de um orador experiente, diz:
Onde não há Orgulho, não há Preguiça, pois os preguiçosos são aqueles que se orgulham de nada fazer para viver, não percebendo que na verdade vegetam.
Onde não há Orgulho, não há Luxúria, pois aqueles que alimentam a luxúria são os orgulhosos que corrompem e se corrompem por vaidade.
Onde não há Orgulho, não há Cobiça, pois os cobiçosos têm orgulho das migalhas que possuem, juntando tesouros na terra e invejando a felicidade alheia, não percebendo que são meros instrumentos do dinheiro, não possuem, são possuídos.
Onde não há Orgulho, não há Gula, pois os gulosos se orgulham de suas condições e jamais admitem que o são, arrumam desculpas para justificar a gula, não percebendo que, na verdade, são marionetes do desejo.
Onde não há Orgulho, não há Ira, pois os irados atacam com facilidade àqueles que, segundo o próprio julgamento, não são perfeitos, não percebendo que na verdade sua ira é resultado de suas próprias imperfeições.
Onde não há Orgulho, não há Inveja, pois os invejosos sentem o orgulho ferido ao verem o sucesso alheio, seja ele qual for, precisam constantemente superar os demais nas conquistas, não percebendo que, na verdade, são ferramentas da insegurança.
* * *
Saíram todos sem olhar para trás, e ao baterem a porta, um fulgurante raio de luz invadiu o recinto...



     Como vemos, é apenas uma metáfora, mas bastante significativa e importante para pensarmos com cuidado sobre o orgulho que ainda agasalhamos em nosso coração. Mesmo que ele fique quietinho, com certeza há sempre o momento exato, quando inesperadamente surge, se interpondo em nossa relação interpessoal e sempre fazendo estragos a nós mesmos. Penso que é um sentimento que precisamos admitir, enfrentar e transformar urgentemente, se quisermos mudar, crescer e sair da condição de seres humanos ainda imaturos, e pior que isso, sem uma consciência de amor e fraternidade coletivos.

 Transformando nossas vidas


Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista
http://www.abpr.org






6 de out de 2011

Aproveitar a vida

     Você sabe aproveitar a vida?
     Penso que antes de respondermos a essa questão é necessário entender, ou melhor, ressignificar o sentido da palavra "aproveitar". Da forma como a entendemos normalmente, ela nos leva a pensar em viver intensamente todos os momentos de lazer, usufruindo os recursos materiais que amealhamos e tirando o máximo de "prazer" possível.

     A Psicoterapia Reencarnacionista vem nos ensinar que podemos e devemos olhar para isso com outros olhos, aprender o verdadeiro sentido de "aproveitar a vida".

     Através das diversas sessões de regressão, a pessoa vai descobrir como ela vem sendo há milhares de anos, e não quem ela vem sendo; nessa terapia o que importa é descobrir algo que desconhecemos intimamente, que é nossa personalidade congênita. Esse termo foi trazido por André Luiz no livro "Obreiros da Vida Eterna", em 1947.

     A Psicologia não-reencarnacionista, que lida apenas com essa vida, procura encontrar o motivo dos conflitos atuais na infância, acreditando que foi aí que tudo teve início. Na Psicoterapia Reencarnacionista, conseguimos compreender que os motivos são mais profundos e que as circunstâncias de nossa vida na infância funcionam como "gatilho" para despertar aquilo que vem conosco ao nascer (reencarnar) para ser tratado aqui na vida corpórea.

     Há também uma segunda razão pela qual estamos reencarnados aquí no plano material, que é a de nos reajustarmos com os desafetos do passado, através dos novos encontros, dentro da própria família consanguínea.

     No livro "Como Aproveitar a Sua Encarnação" de Mauro Kwitko, você encontra maiores detalhes sobre esse assunto e outros mais.




   Se estudarmos um pouco sobre evolução espiritual vamos entender que todos nós seres humanos somos fadados a ela; que devemos nos transformar não apenas como algo que as religiões ensinam ou até impoem, mas como algo inevitável que teremos que encarar um dia. Então, olhando dessa forma, compreendemos que aproveitar a vida é bem diferente, é reconhecer que estamos aqui com uma finalidade, que é justamente nos tratarmos (eliminando impurezas) e aprender a sermos melhores. 

Transformando Nossas Vidas

Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista



Aproveite que está conectado e divulgue esse assunto em suas redes.



1 de out de 2011

O Espelho de Gandhi

     Perguntaram numa ocasião a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem o ser humano, ele respondeu assim:

      "A Política sem Princípios, o Prazer sem Responsabilidade,
       a Riqueza sem Trabalho,
       a Sabedoria sem Carácter,
       os Negócios sem Moral,
       a Ciência sem Humanidade e  
       a Oração sem Caridade.
       A vida tem ensinado a mim, que as pessoas são amáveis, se 
       eu sou amável;
       que as pessoas estão tristes, se estou triste;
       que todos me querem bem, se eu quero bem a eles; 
       que todos são maus, se eu os odeio;
       que há rostos sorridentes, se eu sorrio para eles;
       que há rostos amargurados, se estou amargurado;
       que o mundo é feliz, se eu sou feliz;
       que as pessoas tem nojo, se eu sinto nojo;
       que as pessoas são gratas, se eu tenho gratidão.
       A vida é como um espelho:
       Se sorrio, o espelho me devolve o sorriso.
       A atitude que tomo na vida, é a mesma que a vida tomará ante mim.
       Quem quiser ser amado, que ame".


 
A única razão porque és feliz, é porque tu decides ser feliz

 

Tansformando nossas vidas

Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista



 


29 de set de 2011

O EFEITO SOMBRA



    

     A “Sombra” é aquilo que escondemos dos outros e até de nós mesmos, mas de que não podemos fugir. E quando somos pegos de surpresa pela nossa “Sombra”, então tomamos um golpe.

CURSO ONLINE "O EFEITO SOMBRA"

     Este curso revela o poder escondido na sua verdade! Imagine que existe uma parte em cada ser humano esperando ser descoberta e que tem o poder de nos ensinar, treinar e guiar para que alcancemos força, criatividade, brilho e felicidade. Baseado na obra do mesmo nome, mostra que o que você deseja está ao seu alcance, esperando ser reconhecido, ouvido e abraçado. Você verá que o seu sucesso só não foi alcançado porque essa parte, quando ignorada, pode sabotar nossas vidas, destruir nossas relações, eliminar nosso espírito e nos manter longe de nossos sonhos.

     Para ter acesso a esse curso basta você ser um assinante da Unidarma-Escola Online de Desenvolvimento Pessoal e Autoconhecimento, o que é muito fácil de fazer e gostoso de aprender.
     Ministrado pelo Chris Allmeida, o curso completo conta com 5 aulas em áudio e vídeo (com aproximadamente 50 minutos de duração cada). Você poderá baixar estes arquivos diretamente em seu computador e, se assim o desejar, poderá também gravar estes arquivos em CDs, Ipods ou aparelhos de MP3.

     Mas não é só isto:
Sendo assinante da Unidarma você terá acesso a este curso e também a todos os outros cursos apresentados neste site!


     Aproveite essa oportunidade agora mesmo e não perca mais tempo esperando as novas situações surgirem em sua vida; você mesmo pode ir ao encontro delas e ser o seu próprio terapeuta; é só acessar esse link e fazer sua matrícula:





Transformando nossas vidas

Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista
 
 
 
 

28 de set de 2011

O que é ESPIRITUALIZAR-SE?

     No livro Plantão de Respostas - Pinga Fogo, constam perguntas feitas a Chico Xavier, na entrevista da TV Tupi, com as respectivas respostas; veja essa que selecionei para compreendermos definitivamente qual o significado da palavra ESPIRITUALIZAR-SE, tão bem definida em sua resposta.
Pergunta:
Por que vivemos cada vez mais pensando apenas nas coisas materiais e pouquíssimo nas espirituais?
                                                                                         
Resposta:
O homem atual vive deslumbrado com os bens materiais, que são colocados à sua disposição pela tecnologia que avança a cada dia através de uma propaganda que insiste em colocá-los como caminho da felicidade. Porém, quando os adquirimos não compramos a solução para os verdadeiros problemas da alma, que são as frustrações, as angústias, a solidão e tantos outros. Entretanto, espiritualizar-se não significa ser miserável, nem tão pouco deixar de desfrutar de maneira racional os bens materiais que o homem com sua inteligência e seu trabalho já criou. Espiritualizar-se é conduzir a vida no caminho do Bem, do amor ao próximo e da caridade material e espiritual; é fazer esforço constante para corrigir seus defeitos e domar seus maus instintos; enfim, é fazer crescer o reino de Deus dentro de nós.

Chico Xavier
Entrevista à TV Tupi, programa Pinga Fogo

Livro:  Plantão de Respostas - Pinga Fogo II
Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel
CEU - Cultura Espírita União




Transformando nossas vidas


Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista
www.abpr.org



Se gostou, divulgue em suas redes, clicando nos botões abaixo


19 de set de 2011

Você acredita em reencarnação?

    Em diversos atendimentos que faço como Reflexoterapeuta, tenho hábito de fazer essa pergunta a título de pesquisa para meus estudos. Incrivelmente as respostas são diferentes, porém com conotação muito semelhante; conversando um pouco mais, percebo uma grande dúvida em torno da vida humana. Geralmente  as pessoas que dizem não acreditarem na reencarnação, encontram respostas que tentam atender uma demanda muito frágil. Um desses exemplos é o caso daqueles que justificam o não crerem, pelo fato desse assunto não constar da Bíblia, pelo menos não com esse nome e  na visão deles, ou seja numa interpretação equivocada, fanática, não há porque acreditar.
     É fato, cabível de pesquisas na história da Humanidade, que nos primeiros concílios religiosos, a tese da reencarnação foi retirada dos dogmas católicos, enquanto que antes disso tinha livre curso no seio dessa Igreja. Pois bem, penso que basear-se nessa justificativa para formular uma opinião a respeito de assunto tão importante é no mínimo comodismo para não estudar e conhecer profundamente. Então, é mais fácil se apoiar em fatos não comprovados.
     A verdade é que podemos avaliar que a Humanidade vai se conduzindo por uma futilidade de nossa sociedade,   uma superficialidade, uma forma de "aproveitar a vida" totalmente desviada daquilo que seria a verdadeira missão de cada um; com isso ainda se observam tantas  guerras, tanto preconceito,  etc. Para algúns é ainda mais cômodo analisar tudo isso e rotular de "Humanidade podre", e com isso continuam afastados do conhecimento de que somos todos parte e exatamente por essa razão, temos muita responsabilidade e missão de uma transformação individual e coletiva.
     Conforme aprofundo meu estudo, baseado nessas respostas de meus clientes, vou entendendo que de fato, essas opiniões são resultantes da própria Inquisição, que infelizmente só trouxe atraso na evolução de uma forma geral. Gerou consequências terríveis, tirando das pessoas o senso de finalidade, de igualdade, transformando a vida terrena em uma trajetória sem sentido, vivida às tontas, favorecendo o egoísmo, o apego aos bens materirais, o prazer sensorial, numa apologia ao fútil, ao superficial, ao Eu inferior. Isso conduz à cegueira existencial e pior, às doenças da alma, depressões, suicídios e tantas outras que afligem os seres humanos, quando vivem apenas para essa vida e não para a eternidade.
     Concluindo, entendo que a aceitação e compreensão da reencarnação, com estudo aprofundado, só traz benefícios, ela traz consigo a justiça, o respeito com a nossa vida e a de todas as pessoas, o compromisso com o planeta e o conhecimento de que estaremos por aqui durante milhares de anos e que as nossas diferenças (cor de pele, nacionalidade, classe social, religião, etc.) são apenas das "cascas", fato que nos torna realmente irmãos, filhos do mesmo "Pai". A não-crença na reencarnação, por sua visão limitada a esta vida apenas, gera os conflitos e a separatividade entre as pessoas, por acreditarem ser a sua "casca".




     Cada dia mais me convenço da importância do conhecimento; infelizmente ainda vemos em nossa sociedade aqueles que se apegam à idéia de que o estudo acadêmico é tudo na vida de uma pessoa e crêem  ser o suficiente, pois o que visam é apenas a sua sobrevivência material.



Transformando nossas vidas

Ieda Perez
Psicoterapeuta Reencarnacionista
www.portalabpr.org










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...