30 de out de 2012

Para que servem as emoções?

Na minha observação diária percebo que  grande parte das pessoas que encontro tem dificuldade em lidar com suas emoções, tanto quanto eu.

 Estou buscando um estudo mais profundo acerca do assunto, mas ainda é cedo para arriscar opiniões a respeito do motivo para essa dificuldade.

Por enquanto quero apenas dizer uma coisa: já consigo entender que todas as emoções tem uma função sagrada dentro de nós. Infelizmente vivemos de forma que, não sabendo entender cada emoção, vamos reagindo a elas apenas com alegria ou sofrimento, diga-se de passagem, muito mais esse.

Sendo assim, a vida se torna um labirinto em que ficamos à mercê dos acontecimentos, sem proveito e sem crescimento interior nenhum. 

Para ser mais honesta, até que aprenda melhor, penso que inconscientemente vivemos fugindo do sofrimento; de tal forma que, a qualquer emoção mais perturbadora, nossa ação imediata é buscar uma saída como um escape e com isso deixamos de ter um aprendizado valioso. Perdemos oportunidade de trabalhar nosso autoconhecimento e reforma interior.

Por hoje deixo essa mensagem de Ermance Dufaux  a respeito dessas emoções,  para nossa reflexão.


ESTADOS EMOCIONAIS
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. - Mateus, 5:8
 
A vida terá a coloração de seus estados emocionais, brindando-o com a felicidade ou a tormenta, conforme suas escolhas diante dos testes da vida. 
Você está abatido ante as derrotas? Repouse um poco, refaça suas energias e depois, mais harmonizado, busque pensar que lições a vida te entrega nas dores do fracasso. 
Encontra-se indeciso perante as opções que surgem no seu caminho? Reflita, avalie os sinais da vida, ore e decida assumindo as responsabilidades sobre a decisão que tomar. Ninguém está isento dos riscos de errar.
Sente-se decepcionado pelas ocorrências inesperadas? Reaja procurando entender com otimismo que algo de muito melhor te espera no futuro, se souber entender o recado que a vida te envia no agora.
 
A raiva te assaltou o coração diante de uma perda ou ofensa dolorosa? Considere que por trás de toda lesão existe um testemunho para o qual a vida te conclama em favor de seu aprendizados. 
Olhe com bondade para suas emoções diante dos acontecimentos de sua vida. Sem censura, reconheça-as, aceite-as e estabeleça consigo mesmo um clima de conciliação renovadora. 
A sensação de fracasso, a indecisão, a decepção e a raiva são manifestações da vida interior, que guardam, em cada circunstância, mensagens profundas e variadas em favor de seu futuro. Medite e perceberá com critério que todas elas se destinam a fortalecê-lo, evitar deslizes, aprimorar suas potencialidades e limpar seu coração para o seu próprio bem.

Transformando nossas vidas

Ieda Perez

14 de out de 2012

O que é o crescimento interior?

Gosto muito de falar sobre crescimento interior, porém, às vezes me deparo com uma pergunta: será que sabemos realmente como fazer nossa reforma íntima?

E nessa tentativa, de encontrar respostas satisfatórias, fico observando o comportamento geral de todos nós. Cada um é único como individualidade, mas a necessidade é a mesma, no entanto, as formas de buscar essa melhoria são bastante diversas. É claro que essa observação é fundamentada apenas naqueles que tem esse objetivo na vida, pois vemos que isso ainda não é geral. Infelizmente percebemos tantas pessoas que levam a vida de forma descomprometida, acreditando mesmo que estamos aqui de férias e temos que aproveitar tudo de bom que a vida nos oferece.

Deixo essa mensagem que tem bastante conteúdo para reflexão sobre esse assunto, tão importante para nós. Que possamos observar melhor nossos hábitos e atitudes, assumirmos mais nossos sentimentos limitantes e principalmente reconhecermos onde a necessidade maior em cada um de nós.

"CORAGEM PARA MUDAR" 
           Pelo Espírito Joanna de Ângelis - FRANCO, Divaldo Pereira. Vigilância. LEAL. 
Muitos dos conflitos que afligem o ser humano decorrem dos padrões de comportamento que ele próprio adota em sua jornada terrestre. 
É comum que se copiem modelos do mundo, que entusiasmam por pouco tempo, sem que se analisem as conseqüências que esses modos comportamentais podem acarretar. 
Não se tem dado a devida importância ao crescimento e ao progresso individual dos seres. 
Alguns crêem que os próprios equívocos são menores do que os erros dos outros. 
Outros supõem que, embora o tempo passe para todos, não passará do mesmo modo para eles.
Iludem-se no sentido de que a severidade das leis da consciência atingirá somente os outros. 
Embriagados pelo orgulho e pelo egoísmo deixam-se levar pelos desvarios da multidão sem refletir a respeito do que é necessário realmente buscar-se. 
É chegado o momento em que nós, espíritos em estágio de progresso na Terra, devemos procurar superar, de forma verdadeira, o disfarçado egoísmo, em busca da inadiável renovação.
Provocados pela perversidade que campeia, ajamos em silêncio, por meio da oração que nos resguarda a tranqüilidade.
 
Gastemos nossas energias excedentes na atividade fraternal e voltada à verdadeira caridade.
Cultivemos a paciência e aguardemos a benção do tempo que tudo vence.
Prossigamos no compromisso abraçado, sem desânimo, sem vãs ilusões, confiando sempre no valor do bem.
 
É muito fácil desistir do esforço nobre, comprazer-se por um momento, tornar-se igual aos demais, nas suas manifestações inferiores. 
Todavia, os estímulos e gozos de hoje, no campo das paixões desgovernadas, caracterizam-se pelo sabor dos temperos que se convertem em ácido e fel, passados os primeiros momentos. 
Aprendamos a controlar nossas más inclinações e lograremos vencer se perseverarmos no bom combate.
Convertamos sombras em luz.
Modifiquemos hábitos danosos, em qualquer área da existência, começando por aqueles que pareçam mais fáceis de serem derrotados. 
Sempre que surgir a oportunidade, façamos o bem, por mais insignificante que nosso ato possa parecer.
Geremos o momento útil e aproveitemo-lo.
 
Não nos cabe aguardar pelas realizações grandiosas, e tampouco podemos esperar glorificação pelos nossos acertos.
O maior reconhecimento que se pode ter por fazer o que é certo é a consciência tranquila.
Toda ascensão exige esforço, adaptação e sacrifício, enquanto toda queda resulta em prejuízo, desencanto e recomeço.
 
Trabalhemos nossa própria intimidade, vencendo limites e obstáculos impostos, muitas vezes, por nós mesmos.
Valorizemos nossas conquistas, sem nos deixarmos embevecer e iludir por essas vitórias.
 
Há muitas paisagens, ainda, a percorrer e muitos caminhos a trilhar.
Somente a reforma íntima nos concederá a paz e a felicidade que almejamos.
A mudança para melhor é urgente, mas compete a cada um de nós, corajosa e individualmente, decidir a partir de quando e como ela se dará.

Como a própria mensagem diz, há muitos caminhos a trilhar, porém, penso que precisamos estar atentos se estamos na "estrada", porque mesmo a quem se diga estar no processo, ainda ficamos muito a desejar nessa questão. Ainda permitimos que nosso ego nos domine em diversas questões. 

Nos sentimos bons quando analisamos a violência exposta na mídia, no entanto, muitos de nós ainda se diverte com novelas na TV, que apresentam essa maldade de forma teatral e nosso consciente acredita que é tudo mentirinha, então não tem problema assistir.

Quanto ainda temos que trabalhar nosso íntimo! Podemos estar indignados com a violência que assistimos de forma cruel nos documentários e nem percebermos que, em outro nível, cometemos o mesmo erro conosco, ao descuidarmos de corrigir nossas emoções doentes.

Quando vamos entender que é somente nas relações humanas que podemos crescer? E que para isso, necessitamos delas e de coragem para fazer o autodescobrimento,  enfrentando nossas mazelas morais.

É surpreendente como todos estamos vivendo sem cuidar de nossa essência, olhando para os fatos que ocorrem, de forma superficial, reagindo da mesma forma durante uma vida toda, sem mudanças, sem aprendizado, apenas sofrendo e pagando carmas, como se diz. Ao invés disso, devemos entender logo que o relacionamento mais complicado é justamente nossa oportunidade de reajuste e  harmonização e deixar essa idéia errônea que ouvimos tanto sobre "aguentar alguém porquê talvez fizemos mal no passado". E, principalmente aproveitarmos o momento para buscar nosso crescimento espiritual. E dessa forma, colocarmos nosso ego lá em baixo e a cada dia mais entrando em contanto com nosso Eu Superior. Nossa missão maior na existência.

Esse texto abalou você? Então participe dessa reflexão comigo,  deixe seu comentário. Precisamos crescer juntos. Unindo nossa sombra e luz num esforço mútuo.


Transformando nossas vidas

Ieda Perez

8 de out de 2012

Culpa ou raiva! Experiências mal vividas

    Tenho encontrado pessoas que, devido um despertamento espiritual, estão vivendo momentos angustiantes; isso porque ficam somente mencionando fatos de suas vidas, que poderiam ter sido diferentes. E hoje reconhecem os erros e isso está gerando culpa em alguns ou raiva em outros.

      Acredito fortemente que tudo que ocorre em nossa vida tem um propósito, inclusive e principalmente os erros e atitudes indevidas, que muitas vezes nos prejudicaram ou a outros.

     No entanto, penso que ficarmos remoendo os pensamentos que geram sentimentos dolorosos só irá nos conduzir a estados também angustiantes. Ao contrário, se pudermos olhar para o passado culposo e aprendermos com ele, para corrigirmos o presente e futuro, será muito mais produtivo e nos isso livrará de qualquer estado culposo ou de remorso.

     LIBERTE-SE DO ONTEM
"Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?"   Lucas: 12:26
 
     Na medida em que  você amadurece espiritualmente, vem o desejo de reorganizar as experiências mal vividas no ontem.
     Sentimento louvável e elevado, contudo, não se desgaste emocionalmente em cobranças e indisposições em razão do atordoamento que as noções de compromisso e carmas possam lhe inspirar.
     Muitas vezes, o voluntário esquecimento de acontecimento e até mesmo o afastamento de alguns corações será oportuna decisão em favor de dias mais estáveis na conquista de sua paz.
     Libertar-se do passado significa deixá-lo ir, soltá-lo.
     Em verdade, tal atitude é uma prova incontestável de aceitação e humildade.
     Se pensar bem, você não tem nenhum poder sobre o que passou, muito menos poderá governar o futuro.
     Prisão no passado gera tristeza. Prisão no futuro gera ansiedade.
     Entretanto, em relação ao presente você pode tudo. É o mínimo que a vida lhe confere em prol da sua liberdade.
 
Do livro Receitas para a Alma
              Ermance Dufaux
     Muito importante a atitude de reconhecimento de nossas falhas e igualmente importante a decisão de mudar; olhar para o passado com inteligência e gratidão, reconhecendo que  foi ele que permitiu nosso aprendizado, através dos erros cometidos  e dessa forma fazermos as transformações necessárias ao nosso (crescimento interior).

     Sem culpas, sem raiva, mas com muita coragem e determinação, pois livrarmo-nos do passado requer  humildade, esforço e persistência. 

     Se conseguirmos identificar em nossas (emoções) as verdadeiras razões de existirem, estaremos  com maior consciência e maturidade para promovermos essa mudança. Entendendo que a culpa é um sentimento antigo, que estamos acostumados e por isso nunca reagimos como deveria, ainda não aprendemos como lidar com ele; e a raiva esconde profundamente outros sentimentos como (mágoas) antigas não resolvidas dentro de nós.

Transformando nossas vidas

Ieda Perez


Você gostou desse texto?
Então deixe seu comentário, vou gostar disso!
E também aproveite para compartilhar em suas redes sociais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...